Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

13 dicas para ter em conta quando queremos perder peso

 

Toda a minha vida tenho lidado com estas questões. Nunca fui magra, mas também nunca fui obesa. Nunca me preocupei muito com o que comia ou deixava de comer, se bem que tive alturas na minha adolescência (principalmente no básico) em que o meu almoço na escola eram sandes no bar da escola, porque - achava eu - a comida do refeitório não prestava. Se bem que a verdadeira razão era mais não ter com quem ir almoçar ou ter companhia poucas vezes. Para ajudar a esta situação, de stress à pala de gente parva, achei que jogar voleibol ajudaria a distrair a cabeça e que a comida pouco importava.

 

Quando cheguei ao secundário, achei que deveria alimentar-me bem, continuar a jogar e organizar a minha cabeça/vida de forma mais saudável. O BOOM deu-se no final do 12º ano, prestes a fazer 18 anos, e soube que tinha colesterol alto. A partir daí fiz uma dieta rigorosa, dediquei-me mais ao desporto, mas quando entrei na universidade descambou tudo... sedentária ao máximo! No ano passado reeduquei-me quanto à alimentação, estava a 3kg do meu objectivo, mas quando comecei a tomar Colchicina, todo o trabalho se foi, ganhei tudo de novo. Agora, como já devem ter visto pelos posts #noexcuses que por aqui andam, estou a tentar regressar a essa reeducação, porque estar na casa dos pais é sempre complicado e com mais 8kg outra vez pior ainda.

Como tal, achei que seria interessante trazer-vos 13 dicas para ter em conta quando queremos perder peso e não nos queremos passar da cabeça, como eu já fiz muitas vezes:

 

Começar a seguir pessoas que estão em boa forma nas redes sociais

Não é propriamente mau, até certo ponto é motivante, mas quando temos aqueles dias tristes, em que não nos apetece nada mexer de onde estamos e que achamos que tanto esforço não traz resultados é um pouco complicado lidar com essas "pessoas", com a imagem que vemos delas e queremos em nós. Há que meter um travão e pensar eu vou conseguir, eu vou trabalhar para isso, aquilo não se ganha num dia, por isso tenho de trabalhar. Eu sei que não é fácil, mas se pensarmos que apesar da boa imagem que elas têm, são humanas como nós: também têm celulite, também desistem a meio dos exercícios, também têm os seus deslizes alimentares. Aí começamos a sentir-nos melhor.

 

Deslizes

Todos temos deslizes alimentares, certo? Há dias em que nos apetece um doce e eu aprendi a combater esse desejo com gelatinas, chocolate negro, frutos secos ou água com sabor/chá. Simples e eficaz. Mas como todas as dietas, convém haver um dia na semana em que se pode fazer asneiras, porque um corpo habituado a uma alimentação, acaba por ter carências e até mesmo nós precisamos de um pouco de "vida", vá, de sermos normais mortais. Só que atenção a uma coisa: só porque existe o dia da asneira, não quer dizer que tenhamos de comer este mundo e o outro! Tudo tem a sua medida certa.

 

Registos do nosso corpo

Não digo que tenhamos de fotografar o nosso corpo todos os dias, mas uma vez por semana ou por mês convém. Nós vemo-nos todos os dias, não notamos diferença nenhuma ou quando achamos que notamos, estamos inchados por razões normais. Por isso é importante haver um registo fotográfico para compararmos e fazermos uma avaliação das nossas mudanças, se temos que alterar a alimentação ou o exercício que fazemos.

 

Auto-estima

Com peso a mais ou o peso errado, já temos a nossa auto-estima em baixo ou um pouco em baixo, então se tivermos uma semana/um mês em que o número da balança permanece na mesma, pior ainda. Temos que nos auto-lembrar, com recurso a frases motivacionais ou vídeos ou fotos, não interessa como, que temos de desfrutar desta batalha, como se fosse algo normal do nosso dia. Tem altos e baixos, como toda a nossa vida. Tem vitórias e falhanços. E é importante manter isso na memória!

 

A balança demoníaca

Muitas vezes foram aquelas em que me vi a ser condicionada pela balança. Achando que estava gorda, pesava-me, efectivamente continuava muito acima do meu peso - do objectivo - e haviam vezes em que me sentia bem, achava que estava mais magra e chegava lá e era como uma chapada no ego. É duro ver um número indesejado na balança, ver que o objectivo custa a chegar, mas temos que nos lembrar que se calhar o importante é estarmos bem de espírito, estarmos bem connosco nesse momento. Se não perdemos peso e isso se dever ao facto de termos exagerado no dia da asneira, porque passámos um bom bocado em família, com amigos ou num jantar romântico com direito a fondue de chocolate, não temos que nos sentir mal, foi um bom momento, que valeu a pena. Somos humanos, precisamos de nos divertir também ou não?

 

Boa forma = Cuidar de nós

Eu posso sentir-me em boa forma, apenas cuidando de mim, fazendo o básico. Não tenho de obrigatoriamente de ter os 65kg ideais para a minha altura ou tenho? Temos de encarar as palavras boa forma como se fosse um creme, colocamos na cara, melhora-nos, trata de nós. Temos de pensar que podemos estar em boa forma a treinar como no dia da asneira ou no dia da folga do treino. É uma forma de ter uma boa vida, seja em espírito ou quanto ao corpo, porque quando treinamos, treinamos o espírito também. Quando descansamos, também o descansamos a ele. Sigam esta dica à risca!

 

Falar bem de nós mesmos

Quando não nos sentimos bem connosco, temos a tendência de dizer estou gorda!, devia perder celulite, devia perder este pneu, devia... devia... devia. Fartamo-nos de nos maltratar ao invés de estabelecermos pequena metas para alcançar o nosso objectivo. Quando estava no ginásio, decidi fazer sempre um treino que desse para trabalhar de tudo: elíptica, bicicleta, pernas, pernas, braços, braços, remo - qualquer coisa deste género. Fazia-me bem, saia de lá estoirada, mas sentia-me muito bem comigo mesma, em corpo e alma. Acho que se temos algo a mais aqui e ali, devemos pensar em fazer um mix de exercícios para ir combatendo tudo ao mesmo tempo ou então escolher por semanas, por exemplo: "semana do pneu", toma, toma, toma. Devemos olhar para nós e sorrir para as pequenas vitórias, porque depois chegaremos ao nosso objectivo muito mais rapidamente.

 

Reconhecer que os deslizes fazem parte

Até encontrarmos o nosso próprio método de treino e alimentação, vamos cair muitas vezes. É como tudo na vida: até alcançarmos um objectivo, até aprendermos alguma coisa, damos muitas cabeçadas. Aqui é igual! Temos é de nos levantar e continuar na pesquisa do que é melhor para nós, do que tem mais resultados.

 

Não nos podemos privar de nada

Seguir uma vida saudável pode parecer que nos priva de beber uns copinhos de vez em quando, mas não. Deve ser é só de vez em quando, porque o nosso corpo já não estará habituado a esses excessos como estava antes. Devemos, sim, aproveitar a vida na mesma, com os pecados ou não que ela tem, mas com moderação.

 

Definir metas, mesmo que não tenham nada a ver com perder peso

É algo importante, porque mesmo que não se atinja o objectivo final, perder peso, atinge-se pequenas metas que nos vão deixando felizes. Algo como hoje corro mais 1km do que normalmente faço, hoje faço a caminhada em menos tempo, esta semana não toco em doces, vou beber 1,5L de água por dia, entendem? Com pequenas vitórias, chegamos lá. E repito: além do corpo, o espírito também precisa de treino e de vitórias, se forem pequenas não faz mal, o efeito é igual.

 

Não ter vergonha de ir ao gym

Passei por isto. Achava que todos olhavam para mim, viam como estava gorda e, interiormente, gozavam comigo. Foi difícil aceitar que as pessoas vão ao gym para se concentrarem nas metas deles e não para verem as outras pessoas. Estão todos a fazer o mesmo, a pensar no seu bem-estar. Por isso desisti de me julgar tanto como fazia.

 

Compartilhar com os amigos o que fazemos e pedir-lhes dicas

É bom quando podemos compartilhar o que fazemos com os outros, sentimo-nos mais leves, não tão fechados ao mundo como se escondessemos um grande segredo. As pessoas não levam a mal que peçamos dicas - se forem pessoas já inseridas no contexto, claro - por isso há que criar contacto com as pessoas ao nosso redor.

 

Mantenha tudo na perspectiva certa

Como já disse: trabalhamos o corpo e o espírito/a alma. Se ela se mantiver na direcção certa, o corpo também estará. Por isso, que tal mantermo-nos focados no assunto?

» Créditos da imagem: Pinterest

» Baseado em: BuzzFeed