Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

Acusar os outros sem provas, é feio

 Fonte

Hoje trago-vos um post mais pessoal. Uma pequena história só para poder desabafar, porque, pelos vistos, a voz dos mais velhos tem mais razão que a dos mais novos, mesmo que eles já estejam a perder a ~razão~ na cabeça deles.

Há coisa de uma semana, fui ao café do costume, que não tem muito espaço para estacionar e num lugar ficamos com o carro a tapar as portas de casa de duas pessoas. Como não gostava que me tapassem a saída, sempre que páro lá o carro, deixo uma distância grande para saírem com os carrinhos de bebé ou a pé, não tapando a porta, nem incomodando ninguém. Nessa noite houve uma senhora que me pediu para sair dali, porque estava à frente das portas, tudo bem, não quis confusão, não estava para aí virada, tirei o carro e deixei noutro lado. Não falei com ninguém, não armei confusão, fui simplesmente à minha vidinha como se nada se tivesse passado.

 

Ontem cheguei ao café e uma das donas dessas casas disse-me, na brincadeira, não quero que metas o carro aqui, ainda lhe expliquei a história daquela noite e ela disse-me a rir: já ouvi dizer. Fiquei um bocado surpresa, mas não liguei. Assim que entro no café e me sento, aparece a senhora da tal noite que desata aos berros lá para dentro a acusar-me de ter falado com as duas donas das casas, que eu não tinha nada de ir falar com elas, que eu podia ter deixado o carro noutro lado sem dizer nada a ninguém. Passei-me! Chegar à porta do café e acusar-me de coisas que eu não fiz? Se ela queria confusão, levou resposta. Disse-lhe que não falei com ninguém, nem armei confusão com ninguém e que se ela tinha problemas com elas, não tinha nada a ver com isso. Ela continuou a berrar por cima de mim e eu berrei por cima dela e disse-lhe que a conversa acabou. Chateada, voltei para dentro, sentei-me e comentei com a minha amiga velhos da punhetaela ouviu e volta-se vai chamar velha à tua mãe (típica resposta de quem não sabe o que dizer) e eu disse-lhe olhe e chamo, muitas vezes!.

 

Isto passou, eu acalmei-me e explicaram-me que naquela noite, uma das donas estava à janela, viu e ouviu tudo, e pensou que eu tinha ficado ofendida e pensava que eram coisas deles. No domingo ou na segunda chatearam-se com a senhora e ela pensou que tinha sido eu. Depois disto fui para casa, contei aos meus pais e eles até se riram, mas hoje a senhora (de 80 anos, provavelmente) virou-se para a minha mãe a chorar e disse a Vanessa tem de ter cuidado, não pode confiar nelas que elas são umas falsas. Resultado? A minha mãe virou a casaca e veio contra mim à pouco. A dizer que eu não podia confiar nelas e bla bla bla, quando eu não fiz nada! E já irritada de ontem, ela ouviu-as também.

 

Nunca me meto em confusões, nunca arranjei problemas com ninguém e agora vem esta embrulhar-me na guerra que tem com as vizinhas (uma delas é mulher do afilhado). E depois tenho a minha mãe, que como sempre, me volta as costas, porque acredita no raio da mulher e no que ela diz. Mas já fiz questão de afincar o pé e de lhe dizer Já chega de falar da velha! Não me queiras fazer chatear, porque eu não arranjei confusão com ninguém. Deixa-te de falar nisso. A sério, mete-me uma raiva que ela seja assim.

 

//

 

Se isto fosse com vocês, o que é que fariam?

32 comentários

Comentar post

Pág. 1/2