Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

BLOGMAS | Dia 22: As minhas memórias de infância favoritas

BLOGMAS | Dia 22

 

Quando somos pequenos, o Natal tem magia, tem divertimento, tem a família toda reunida, montes de comida, montes de coisas. Conforme vamos crescendo, reparamos que o Natal vai ganhando outro significado, que tomou outro sentido e que o tempo não volta atrás. Eu sinto falta do Natal da minha infância, eram os melhores tempos.

 

Consoada na casa da avó

Provavelmente é a minha memória favorita. 13 pessoas, numa casa grande, mas pequena para tanta gente, sempre com jogos, com filmes na televisão, com os mais velhos à lareira ou à mesa da cozinha, com conversas e gargalhadas por todo o lado. Era mesmo o melhor Natal, até os interesses das pessoas se sobreporem à família, aos mais próximos e tudo isso acabar. Uma coisa é certa, a minha estrelinha sempre teve perto de nós, sempre foi amada nesta altura, embora outros a tenham esquecido e depois se tenham arrependido disso já tarde demais. As melhores memórias desta altura são com a minha estrelinha, de quem há 2 anos me lembro sempre quando vou temperar o bacalhau no Natal e parece que a vejo a encher o prato de azeite e vinagre, perguntarmos porque meteu tanto e ela dizer está bom assim, quando não quis admitir que era demais.

 

Caçada ao Pai Natal

Já falei disto por aqui, mas não me canso de contar. Quando era pequena acreditava mesmo no Pai Natal, até pendurava as meias de tricô na lareira, coladas com fita-cola. Um dia pensei é hoje que apanho o Pai Natal! Saí de casa da minha avó à meia-noite, às escondidas, e fui para a minha (mesmo ao lado). Ia em bicos de pés, não fosse o Pai Natal estar em cima da chaminé, abro a porta a medo e quando abro a porta da sala... não havia nem Pai Natal, nem presentes, nada. Voltei para a casa da minha avó, muito triste... quando acordei na manhã seguinte, estava em casa e o Pai Natal sempre lá tinha ido! Na minha ideia, o Pai Natal só chegou atrasado.

 

A festa de Natal

Eu adorava as festas de Natal! No final havia o Pai Natal que trazia presentes e era o auge de tudo aquilo. Naquela altura a festa de Natal englobava todas as escolas primárias da freguesia que eram 5, com imensas crianças. Acho que estão a ver, uma mega party para a criançada. Trabalhávamos um período inteiro para uma peça de teatro... e valia bem a pena.

 

Que memórias de infância desta altura é que guardam? Pode ser qualquer uma, como o vosso pai ser o Pai Natal, vocês ficarem sujos de tronco de Natal, sei lá, qualquer coisa.

8 comentários

Comentar post