Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

Fim do estágio

Fim do estágio

 

Onove meses no inferno terminaram. Não sei como é que aguentei tanta coisa neste tempo que passou. Eu sei, a vida está difíciltodos temos maus patrõescomo a vida está vais recusar ficar aí?, é tudo muito bonito, mas queria ver pelo menos metade das pessoas que me dizem isto a aguentarem o que aguentei, de boca fechada e sem apresentar queixa nenhuma. Tirando que tinham de meter o vosso belo carrinho numa estrada de 3km com lama, buracos, rochas e pedras a dar por um pau. Por isso, se não quiserem ler um super desabafo, desistam já.

 

PONTOS NEGATIVOS

Fui obrigada a trabalhar com um Surface Pro 3 (que é tudo menos um computador de escritório).

Era suposto ser um estágio de RP, mas não aprendi nada sobre isso.

Fui enfiada numa sala grande com quatro estagiários de uma espécie de Erasmus, todos franceses. Eu que era trabalhadora, embora estagiária, tinha de tratar de assuntos importantes do espaço numa sala de aula... leccionada em Francês. Logo aí comecei a ter de deixar o meu trabalho, para assistir a palestras em Francês, traduzidas para Português ao pontapé, que supostamente eram importantes para mim. Até hoje não sei em quê.

Péssimas condições de trabalho de escritório. Tirando o barulho que já referi, as cadeiras eram baixas, sem um bom encosto (como podem ver na imagem), as mesas mais baixas ainda (péssimas para usar aquele computador), nem havia água para bebermos, nem havia máquina de café, nem havia material para trabalhar (canetas, etc.).

A actualização do blog passava por uma total mudança de imagem, porque o que tinham era bastante feio e desinteressante, deixando a plataforma Blogger para aderir ao Wordpress, que eu não domino de todo e mais tarde tendo de criar um site.

Uma total falta de respeito para comigo. Perdi a conta a quantas foram, mas eles não queriam alguém para lhe ensinar algo, queriam alguém que fizesse aquilo para o qual eles não tinham tempo: tratar das redes sociais, do site, da divulgação do espaço, de trabalhos manuais de uma empresa adjunta, da comunicação com empresas, etc.. Tudo isto ao mesmo tempo, sem nunca terem visto o meu trabalho.

Os ditos trabalhos manuais. 37 pares de mãozinhas, porque a artista foi de férias; trabalhos com cortiça (desabafei sobre isso aqui); e eu que não desenhava há 2 anos, meteram-me a fazer esboços (Sabem o que é? Eles não sabiam.), por isso quando ouvi bocas de Isto é uma merda! Como é que a Vanessa sabe desenhar e fez uma coisa destas? e, mais tarde, depois de pintados, disse-me Que bonitos! Têm tanta alegria, tanto carisma! Adoro!. Sinceramente foi a altura em que mais me fui abaixo, por desvalorizar tanto o meu trabalho e o meu esforço. Como é que se pede um esboço a alguém que não desenha há 2 anos e se diz uma coisa daquelas? A minha sorte foi pensar que realmente os conhecimentos artísticos dela não existiam.

Bocas tortas. Falei disso, certo? Desde coisas como Sabe que pago mais 53€ à Seg. Social só porque a Vanessa ganha acima da média. ou Você ganha bem para um jovem! ou Você é arrogante! Sempre que lhe pedimos um trabalho diz que não. ou Você tem de ser mais pro-activa! Você nem sequer devia de dormir até isto começar a funcionar a 100%, quando tinha dois sites em mãos para desenvolver.

Uso e abuso das minhas coisas/da minha boa vontade. Confesso que isto foi das coisas que mais me custou neste estágio. Usei a minha máquina para os ajudar, tirei fotografias ao espaço e à Casa para o site ficar bonito, ainda tirei fotos às malditas bonecas e no fim dizem-me que eu digo sempre que não quando me pedem alguma coisa. A artista chegou a vir falar comigo e dizer-me Quinta-feira traga a sua máquina!. E eu pensei cá para mim mas tu agora mandas nas minhas coisas? Então já que tenho a fama de dizer 'não' a tudo, deixa lá usá-la a meu favor. Dito e feito. Disse-lhe que não, porque emprestei ao meu irmão e ela ficou chocada e toda stressada, até me mandou ir pedir a máquina ao meu irmão, a minha máquina, lol. Eu disse que não, que ele estava fora. Assunto arrumado.

Desvalorização total pelo meu trabalho. Eu referi isso, mas só quero que compreendam porque o disse. Nunca verificaram o meu trabalho, apenas queriam pronto e feito para ontem. Fosse isso o site, os posters, etc.. E sabem que mais? Desde Agosto que aprendi a mexer no programa para fazer o site, a 3 dias do final do estágio, o meu patrão lembrou-se que tinha de aprender a mexer nele e eu tentei explicar-lhe. Acho que expliquei a mesma coisa, N vezes e ele não percebeu nada. Ainda ficou chocado com a trabalheira que aquilo dava... engraçado, eu não prestava para nada, mas agora já vê que aquilo dá trabalho. Só se dá valor ao que se tem quando se perde, certo?

Péssimo acesso ao meu local de trabalho. Eu empenei uma transmissão do meu carro, agora pensem. Buracos, lama, pó, pastos, ervas... péssimo. O meu carro bateu palminhas quando chegou ao alcatrão ontem: never moreeeeeee.

O meu patrão ficava na cadeira à frente da minha (a da foto), durante 7h seguidas. Nem falava comigo.

Falta de higiene nos WCs. Como não haviam pessoas, os WCs não eram limpos durante meses. Mesmo que houvessem 4 estagiários dele, eu e ele. Nem comentar muito mais, acho que a imagem visual chega-vos.

Uma contratura muscular e derrames nas pernas. Com estes vou ter de lidar durante mais tempo. Uma contratura ou mais nas costas, que já me chegou a apanhar as pernas, o pescoço e as costelas do lado direito e derrames que apareceram desde a cocha até ao tornozelo... fiquei chocada!

 

PONTOS POSITIVOS

Aprendi a lidar com o stress. Confesso que vocês e o meu namorado me ajudaram bastante, com dicas e palavras amigas, as meninas MagdaSofia e Filipa aturaram-me bem.

Aprendi a usar um programa de webdesigner sozinha. Foi a minha maior vitória! Obrigada, Youtube. Obrigada, informático simpático. Obrigada, guia prático do programa. Obrigada, Filipa, por me aturares com dúvidas que mal podias resolver.

Conheci outro tipo de patrões. Até agora, em trabalhos de verão, conheci patrões rígidos e formais, patrões parvos e com pensamentos retrógrados e patrões muito fixes, muito rígidos e que eu adorei. Aqui, conheci uns patrões à balda, que querem tudo feito para ontem, mas nem sabem fazer o que pedem, nem se preocupam com nada... enfim, outro tipo de patrões.

Conduzi muito mais e aprendi a poupar combustível e a reconhecer problemas no meu carro. Gozem-me, mas é verdade e isto foi um ponto muito importante. Sabem o que são 76km por dia, 1520km por mês, 13 680km em 9 meses? Foi o que eu fiz.

Dei muito mais valor às pequenas coisas da vida. Uma coisa bonita do meu dia. Um momento divertido do meu dia. Um fim-de-semana romântico. Um dia de praia. Tudo foi valorizado ao máximo.

Consegui tratar-me através da acupunctura. Foi a minha salvação e aprendi imenso sobre a minha alimentação.

Aprendi a conhecer-me melhor. Como pessoa, como empregada, como artista.

Aprendi que tenho de falar quando devo mesmo falar e não me deixar calcar.

 

Bom, agora é rumar a um novo destino, longe de caminhos de cabras, onde espero que o ambiente seja melhor e mais activo. Odeio trabalho de escritório, principalmente escritórios parados e onde o patrão se senta 7h seguidas na cadeira em frente à vossa e onde não há respeito por ninguém. O tempo da escravatura já lá vai, mas como Deus escreve direito sob linhas tortas, ele vai tratar de lhes dar o devido castigo.

Deixo só o conselho: esqueçam a merda dos estágios do IEFP.

 

//

 

Fim.

34 comentários

Comentar post

Pág. 2/2