Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

Matou-se um coelho em directo

Eu sou uma rapariga do campo. Como tal, ver animais a morrer ou a serem mortos foi algo que sempre fez parte da minha vida. Lembro-me perfeitamente de quando era pequena, ver a minha mãe e a minha avó a matarem galinhas e coelhos e isso nunca me fez confusão nenhuma. Até mesmo as matanças de porcos! Mas hoje em dia sei que sou mais sensível ao assunto, sei que não consigo ouvir o porco a chorar ou quando matam galinhas e coelhos, porque me faz confusão matar assim um animal. Até quando vou de carro tento não matar passarinhos, ratos, sapos e lebres/coelhos bravos.

 

Agora a nova polémica da internet é a de que uma rádio dinamarquesa matou um coelho em directo com uma bomba de encher pneus. Primeiro que tudo, a melhor forma, a mais correcta e a mais respeitosa forma de o fazer não é essa. É pegar no dito animal, virá-lo de cabeça para baixo e dar uma pancada seca por detrás das orelhas. Tão simples quanto isto! Certamente estão a achar isto um comentário assustador, mas até no livro A Fórmula da Saudade, do Daniel Oliveira, se fala do assunto (a dona Zulmira quando era nova e trabalhava numa banca em que tinha de matar coelhos e galinhas, como não conseguia fazê-lo de outra forma, torcia-lhes o pescoço). Mas bom, estou a ser dura demais, eu sei...

 

O que importa para mim debater aqui é o seguinte: é chocante para alguém que vive numa cidade uma vida inteira, que nem sabe de onde vêm os animais, ver uma coisa destas. Acham-no desumano e concordo que foi neste caso. Se era para matar o bichinho e causar "furor", poderia ter simplesmente usado as formas mais usadas pelas pessoas que o sabem fazer. Porém as pessoas estão revoltadas com eles, porque na cabeça delas nem sabem como é que a comida vai parar ao prato. Nem sabem como é que os animais são criados, criados para se comerem. Eu mesma tenho coelhos e galinhas e não preciso de ir a um talho comprar estas coisas, porque sei como foram criados, como foram mortos e como foram feitos. Tão simples quanto isto. Mas quantos, que vivem nos grandes meios, sabem como é que a comida que têm no prato foi adquirida? É como aquela pergunta que fizeram a uma criança de onde é que vêm as vacas? e a criança diz que veio do talho. É triste!

 

Há uns tempos existia um programa na SIC Radical que tinha um restaurante colado a um matadouro de porcos e com um vidro para verem tudo o que acontecia lá. Muitas foram as pessoas que não aguentaram ver como é que matavam os animais, para lhes darem a carne acabada de retirar dele para provarem e compararem a carne congelada (ou lá o que era). As pessoas ficavam mal dispostas, vomitavam, tudo e mais alguma coisa. E tudo porquê? Porque nunca lhes passou pela cabeça como é que isso se processava. A nossa cabeça tem tendência a ignorar essas coisas, porque é comida e pronto, não interessa o resto. É um pouco por aí que muitos vegetarianos pegam, porque comemos um animal, um ser vivo, etc.. Comemos porque gostamos, porque fomos habituados a isso, porque estamos monitorizados para tal.

 

Sei que é um tema "polémico", não me levem a mal, mas é a realidade. É assim que as coisas acontecem e por mais "delicados" que queiramos ser, este assunto nunca é delicado, nunca é visto por isso. Às vezes a realidade dói e aqui é um desses casos. Adoro coelhos, tenho uma criação deles e vejo-os a crescer desde o dia em que nascem até morrerem, porque são animais criados para a nossa alimentação.

Ainda sobre a notícia da rádio, a intenção deles é de mentalizar as pessoas para algo que defendem, os direitos dos animais, mas depois não sabem o que lhes aconteceu para irem parar ao prato delas todos os dias. Assim, através do choque, talvez as pessoas compreendam o que se passa à volta delas.

 

Qual é a tua opinião sobre isto? Sabes como é que a carne que comes é criada/processada?