Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

Movie Review | Eddie The Eagle

Eddie The Eagle

Eddie The Eagle, 2016

Um filme que retrata a história do mais famoso saltador de ski britânico, Eddie Edwards, que encantou o mundo em 1988 nos Jogos Olímpicos de Inverno com todas as suas aventuras e pela sua maneira de ser.

 

 Aqui conhecemos uma história verídica de um rapazinho que tem o sonho de ir aos jogos olímpicos, tenta ser nadador e outra infinidade de modalidades, mas farto de ver o filho a fracassar, o pai leva-o a aceitar ser estucador, a profissão do pai. Aí faz-se luz na cabeça dele ao ver uma pista de ski e decide ser esquiador. O rapaz é trapalhão, por isso acaba por ser expulso da equipa de ski, o que o leva à estaca 0 de novo... até se fazer luz de novo e ele querer, muito, ser saltador de ski. Depois de imensas aventuras, de conhecer Bronson Peary (Hugh Jackman) e ele se tornar o seu treinador, eis que ele consegue finalmente alcançar um sonho, um grande sonho e que se torna no saltador de ski britânico mais famoso.

 

Fui ao cinema e, ao contrário do que se haveria de esperar, o meu interesse não passou por ir ver o Batman VS Super-Homem. Não sei porquê, são duas personagens que gosto e não as vejo a serem ~opostas~ uma da outra. Bom, optei por este, por me parecer mais divertido, por ter dois actores que já conheço (Taron Egerton, do Kingsman, e o ~famosíssimo~ Hugh Jackman, Wolverine), por já ter ouvido falar da história e por gostar de histórias verídicas.

 

É impossível ficarmos indiferentes a este filme. Não é só divertido, com um chavalo que desde pequeno mostra que quer seguir os seus sonhos dê por onde der, onde percebemos que ele não joga com o baralho todo, este filme mostra a vontade de querer e de viver, a resiliência face às dificuldades que a vida nos apresenta. É de todo um filme espectacular e que nos mostra que se queremos mesmo uma coisa, temos que as enfrentar e ultrapassar como sabemos... e se não sabemos, devemos procurar uma forma de o alcançar. Além disso, temos a personagem do Hugh Jackman que é um exemplo de que nunca é tarde para remediar os males do passado e voltar àquilo que gostamos, tanto não seja como treinador, que foi o caso dele.

 

Classificação IMDB: 7,6/10

Classificação nuages dans mon café: 8/10

4 comentários

Comentar post