Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

Movie Review | Guardiões da Galáxia

 

Guardiões da Galáxia, 2014

O mundo da Marvel foi e há-de sempre ser aquele paraíso maluco dos super-heróis com poderes malucos e outras cenas malucas que não lembram a ninguém. Embora ache que a junção com a Disney possa ter alterado em muito aquilo a que estamos habituados, este filme até que se escapa e em grande escala. Aliás, acho que o facto de a Disney ter comprado a Marvel, a salvou e ajudou a que começassem a dar asas a histórias de BD que já ninguém pensava alguma vez ver em filme, mas isto é apenas a minha opinião.

 

Sobre o filme, a história começa com um menino, Peter Quill, que visita a sua mãe que está numa cama de hospital às portas da morte. A mãe faz-lhe o simples pedido de lhe pegar na mão uma última vez e, como todas as crianças birrentas, diz que não, a mãe morre e ele depois arrepende-se e sai a correr do hospital. Aí ele é "raptado" e levado para o espaço por Yondu - líder de um grupo de piratas/ladrões, o que lhe quiserem chamar.

Depois disto, o filme dá um salto de 20 anos na história e já vemos Quill, em adulto - só o reconhecemos porque o vemos com o walkman que usava em pequeno e a dançar feito maluco - e sabemos que ele procura algo - uma Orb (uma esfera que se cair em mãos erradas, pode destruir o planeta) -, nos destroços de um planeta. Ele agora é uma espécie de ladrão, fora da lei, mas não é mau, apenas procura as coisas que lhe pedem. Até se intitula de Star-Lord, sem ter grande importância, embora ele ache que sim.

Bom, nisto ele envolve-se numa luta maluca, porque o objecto que ele encontrou é desejado por Ronan, o Acusador - um dos guerreiros "dos fortes, grandes e poderosos" do Império Kree e que usa algo a que chama de Arma Universal e que mete um exército atrás dele, incluindo a Gamora - uma mulher verde e que é uma assassina eficiente.

- Para minha tristeza adormeci depois deles andarem todos malucos atrás do Quill -

A certo ponto, aparece o Rocket - guaxinim - e o Groot - uma árvore mutante com forma de homem e que só nos faz rir quando diz Eu sou o Groot. e o guaxinim percebe as frases todas a partir disto - e que descobrem que estão a dar uma recompensa valente se apanharem o Quill. E, como em todos os filmes, alguma coisa dá para o torto e neste caso foi o contacto de Quill, que lhe pediu para capturar a Orb que rejeitou o objecto e o meteu na rua. A partir daí andam à batatada os 4 (Quill, Gamora, Rocket e Groot) até serem presos pela eficiente polícia de Xandar.

Bom e não contando a história toda, porque a partir daqui é que o filme fica interessante, todos lutam para proteger a galáxia, porque realmente a Orb caiu em más mãos, e o Groot salva-os a todos - embora depois tenham de ver para saberem como - mas o filme não acaba aí. Também descobrimos que o Quill afinal é filho de uma humana e de um alienígena - o imperador Jason do planeta Spartax. WELL, era bom que contasse tudo, mas não o vou fazer!

 

Qual é a minha opinião sobre o filme? Adorei! Eu sei que adormeci ali no início, que perdi ainda um bom bocado, mas não sei dizer se foi do cansaço ou se estava a apanhar seca. Sei que assim que me apanhei quentinha debaixo da manta, não me lembro de nada até acordar uns 10/20 minutos depois! Uma tristeza, eu sei...

Mas acho que está uma história bem conseguida, a partir da parte em que não vos contei, não consegui descolar do filme nem um bocadinho. Ri-me imensas vezes com o Groot e o Rocket, são duas personagens que enchem o filme de uma maneira subtil, mas agradável e super divertida. As piadas do Quill falham muitas vezes, dá a sensação de ser uma personagem com a mania que é esperta. Embora ache que no geral até tem um toque de comédia interessante no meio de tanta acção.

 

Classificação do IMDB: 8,3/10

Classificação nuages dans mon café: 8,5/10

2 comentários

Comentar post