Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nuages dans mon café

Quotidiano, inspirações, fotografia, filmes e outras coisas.

nuages dans mon café

Aleatoriedades desta vida

 

Fonte

 

Vocês passam tanto tempo sem me aturar que achei melhor fazer um pequeno update da minha vida nos últimos tempos e assim poderem perceber o porquê de não me apanharem por cá tantas vezes.

 

 

número um

poupanças:

 

Depois de 9 meses de sofrimento, de deprimir completamente, de 2 meses de desemprego que pareceram uma eternidade, onde tentei a todo o custo encontrar algo, alguém, qualquer coisa que me desse valor... finalmente tenho um trabalho decente, onde tenho o meu dinheirinho certo ao fim do mês e onde me dão realmente valor. Com isto, aprendi o que é realmente poupar dinheirinho para o meu futuro, para qualquer eventualidade, ao invés de me sobrar mês no ordenado, como diz o outro. Finalmente comecei a fazer a minha vaquinha e a vida já se compôs.

 

 

número dois

planos:

 

Atingi o meu limite no que diz respeito a ~morar com os pais. Eu vivi 3 anos e meio sozinha, voltei para casa há 1 ano e sinto-me a perder qualidades domésticas, se é que me entendem. Tudo o que faço é à vontade deles e não à minha. Se limpo de maneira X, eles querem Y e nunca nos entendemos. Se não faço ou faço algo, se saio ou não, se gasto o meu dinheiro ou não, tudo é da conta deles e isso... já chega para mim, mas, lá está, são pais. Além disto, tenho o meu trabalho para um lado, o G tem para outro, cada um com os seus horários e mal nos vemos, o que torna a coisa mais irritante ainda. Por isso, nos planos de 2017/2018 está um T3 para dois e uns trapinhos bem arrumadinhos.

 

 

número três

falta de tempo:

 

Ando a tentar manter-me fiel a mim mesma no que diz respeito à minha área e aos meus gostos, mas, verdade seja dita, tenho tão pouco tempo livre que sinto que ele (o tempo) passa a correr. Tento fotografar quando posso, só que depois nem tenho tempo/cabeça para editar as fotos. Tento trabalhar em design, mas depois vem o mesmo problema para trabalhar a sério no assunto. Não está fácil!

 

 

número quatro

amizades:

 

Sempre me disseram que com o passar dos tempos, a vida encarrega-se de nos dizer quem sim e quem não. Felizmente ou infelizmente, tenho vindo a descobrir que as pessoas não são aquilo que me pareciam, que não merecem aquilo que eu lhes dava, mas também há muitas pessoas de bom coração e muitas pessoas que estiveram sempre do meu lado quando mais precisei e nos bons momentos. Basicamente a minha vida tem-se auto-organizado aos poucos, tem ~escolhido~ os verdadeiros e tem-me deixado viver descansadinha com isso.

 

 

número cinco

desapego:

 

Resolvi tratar de um assunto que a minha mãe adora atirar ao ar: tens tanta roupa! Acreditam que ela deixou de referir isso a partir do momento em que as camisolas de há 6 anos atrás começaram a ficar feias, estragadas e as tive de meter no contentor e quando retirei toda a roupa de inverno que tinha nas gavetas? Pois é, limpei o guarda-fato, tirei aquela sensação de não tenho nada para vestir, uso sempre o mesmo e agora estou pronta para renová-lo em grande! Apesar de detestar ir às compras (raramente compro uma peça de roupa), lá vai ter de ser e até pode ser que me faça bem ao ânimo pensar que vou sair, vou aqui ou ali e tenho uma peça bonita e nova para usar.

Também resolvi encher sacos e sacos de coisas do passado (livros, bujigangas, etc.) que andam pelo quarto e ver-me livre disso. Parecia sempre que aquilo já não fazia parte da minha pessoa e que só andava por perto para me moer. Lixo e ficou tudo resolvido.

 

 

número seis

 iPhone:

 

Eu que sempre falei bem do Android, que sempre o defendi dizendo a toda a gente que existem telemóveis tão bons como os da Apple, resolvi virar costas ao Android. Não lhes retiro valor, há grandes máquinas a bons preços (e baixos preços), continuo a defender que se deve escolher bem o que se quer, mas para mim deu o que tinha a dar. O meu velhinho já nem me permitia ir ao Facebook e o instagram muito mal, sempre a bloquear, sempre a dar problemas. Cansei-me, cansei-me e quis mesmo o iPhone e o meu moço só me dizia vais arrepender-te, depois não podes voltar atrás, mas fui em frente, porque era a minha decisão final e comprei o iPhone 5S.

Agora é o menino dos meus olhos, tenho adorado o sistema iOS (como era de esperar), tudo bem que pode ser só fogo de vista, mas tão cedo não arranjo outro, muito menos Android. Pensando bem, cada vez que penso no meu velhinho até me dói das chatices que deu, só que 2 anos e meio é bom demais para um smartphone e ele já andava de dias contados.

O que é que eu vos posso dizer mais sobre ele? Oh, sim, a qualidade das fotos do meu instagram aumentou imenso... digo eu, pelo menos.

 

 

número seis

 ser tia:

 

Quem já se habituou a vir aqui, sabe bem que eu já sou tia há 2 anos e pouco, que sou uma tia super babada e que agora ainda sou mais, porque ela está uma reguila, fala pelos cotovelos, dá muitos beijinhos à tia e... ok, já chega. O que tenho para vos contar é que agora fui tia de novo, só que não é minha sobrinha mesmo, é do G. Mesmo assim, é a coisa mais fofa do mundo e dá bem para babar até aos pés, porque ela é super boa, adora brincar com os bonequinhos e... já chega, sou uma tia babada!

1 comentário

Comentar:

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.